Saiba a importância do Networking na Odontologia

Palavra muito citada quando o assunto é negócios e carreira, o Networking nada mais é do que uma rede de relacionamentos. Porém, ela existe há anos em sua vida e você nem se deu conta. Inicia no âmbito familiar, passando para educacional, acadêmica e, finalmente, no ambiente profissional. Embora para outras áreas da vida seja importante potencializar relações e vínculos, o Networking tem um resultado exponencial quando se fala em mercado de trabalho, como o da Odontologia. Por isso, separamos cinco dicas para que você não deixe esse mecanismo de lado:

Explore vínculos familiares:

Quantos de nós conhecemos alguém como “o amigo de meu primo” ou “colega de minha tia”? Muitos! É verdade, então, que a família é o primeiro contato que temos com o termo Networking e, desta forma, deve-se aproveitar esses laços já estabelecidos para ampliar a rede de conhecidos, conversando com essas pessoas para que indiquem seu trabalho.

Use o ambiente acadêmico:

Em muitos momentos, enquanto estamos nos preocupando na faculdade com os trabalhos e provas, esquecemos de absorver o conhecimento como um todo que paira o ambiente. Sendo assim, é importante aproveitar o currículo extenso da Odontologia, pois ele propicia muito tempo de contato com professores, resultando em uma relação sólida entre discente e docente.

Aproveite cargos iniciais:

Sair da Universidade sem o próprio consultório ou clínica pode ser um bom caminho para o início de sua carreira. Afinal, ao trabalhar para outros dentistas, você conhecerá mais profissionais, com a oportunidade de mostrar seu trabalho para dentistas experientes com influência no mercado. Além disso, também é possível criar e solidificar uma aproximação com clientes que, provavelmente, lhe seguirão, caso ou quando optar por uma carreira solo.

Colega não é inimigo!

Ter uma boa relação com colegas de profissão é um hábito saudável que deve (e precisa) ser estimulado. Cultivando esses vínculos, você crescerá a partir da troca de conhecimento, além de ter acesso aos contatos de seu colega. Quando as especialidades forem diferentes, basta indicar o profissional amigo para o paciente. É natural que a indicação volte da mesma forma.

Bônus:

Não basta criar o Networking, você deve cultivá-lo. Relacionamentos são baseados na comunicação e, para ela acontecer, deve haver uma constante troca de ideias. Portanto, não espere ser ajudado para ajudar e nem busque seus contatos apenas quando necessário. Essa relação deve ser natural e constante para, assim, ser efetiva!

E você? Como cuida de seu Networking? Se tiver mais dicas, compartilhe com os colegas aqui no Blog Codental! Lembre-se: colega não é inimigo!

You May Also Like

About the Author: Maria Carolina

3 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *