Devo abrir meu consultório logo após a faculdade?

Ficar em dúvida se deve ou não abrir um consultório depois da faculdade é normal para os estudantes que entram no mundo da Odontologia. As exigências do mercado, quanto ao sucesso profissional, fazem com que os alunos pensem cada vez mais qual a melhor – e mais rápida – solução. Contudo, a verdade é que, assim como em outras profissões, a vida de recém-formado é mais difícil do que possa parecer. Por isso, antes de qualquer passo, deve-se analisar os riscos.

Veja nessa lista os pontos principais e essenciais que envolvem a abertura de um consultório ou clínica.

1. Demanda de mercado: antes de pensar em como abrir um consultório ou clínica, é preciso refletir sobre quem frequentará o espaço. Ou seja, terá pacientes o suficiente? Há uma alta concorrência! De acordo com o Conselho Federal de Odontologia (CFO), no Brasil existem mais de 319 mil cirurgiões-dentistas registrados, além de mais de 44 mil clínicas e e consultórios cadastrados.

Os dados revelam grande demanda da população por serviços odontológicos. Sabemos que, além da saúde bucal, os brasileiros são extremamente preocupados com a estética. No entanto, a situação financeira das pessoas não está em sua melhor fase o que, consequentemente, baixa os valores dos procedimentos da concorrência.
Dica: analise o contexto do local perante ao seu serviço. Cidades grandes tendem a ter mais espaço, mas as pequenas também podem ser interessantes, caso tenha alguma novidade em mãos.

2. Investimento: se pensa em ter o próprio espaço, você provavelmente calculou os gastos iniciais. Só que esse valor depende do tamanho e operacionalidade que planeja. Um consultório com recursos básicos pode ser interessante para o início. Mas, caso tenha uma grande quantia, é melhor optar por uma franquia, pois tem uma logística estrutural pronta, credibilidade e auxílio na gestão.

3. Planejamento de carreira: embora seja um ótimo início na carreira, seu tempo será escasso ao ter o próprio local de atendimento. Pensando nisso, é importante investir também no planejamento da carreira. Dependendo da especialidade que seguir, indica-se a extensão do período de formação, fazendo residência ou estágios. Além de conhecimento e experiência, essa fase pode ser utilizada para construção de networking, que será fundamental para mais tarde.

Pense, planeje, analise seus recursos e, quando tomar uma atitude, tenha 100% de confiança e persistência.
Boa sorte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *