Dentista como um aliado do combate ao fumo

O Dia Nacional de Combate ao Fumo, lembrado em 29 de agosto. Reforça ações nacionais de sensibilização e mobilização da sociedade para os danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco. Nesse sentido, o dentista é um aliado do combate ao fumo.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte evitável no mundo. Estima-se que cerca de 200 mil brasileiros morram anualmente em decorrência do fumo. Contudo, o número salta ferozmente quando em escala mundial: 4,9 milhões de pessoas. Assustador, não é?

No Brasil, o câncer de boca ocupa o quinto lugar entre os mais comuns entre homens, sendo o alcoolismo e o tabagismo as principais causas. Também se avalia que aproximadamente 75% a 90% dos cânceres que acometem a região da cabeça e do pescoço sejam consequências cruéis do consumo de tabaco.

“Como eu, dentista, sou um aliado do combate ao fumo?”

Estudos indicam a importância da relação entre o cirurgião-dentista e o paciente porque os tratamentos, no geral, são bem longos. Sendo assim, o contato deve ser muito próximo para, no decorrer de todos os cuidados, ter a liberdade de motivá-lo e incentivá-lo a continuar na busca do correto e mais saudável.

Além de clinicamente positivo, o resultado é também esteticamente relevante. Dessa forma íntima e amistosa, o paciente fica longe do tabaco de forma eficaz, dando um efeito mais visível ao tratamento e, mais do que isso, diminuindo os riscos de cânceres.

Para a maioria dos fumantes é um desafio muito grande e doloroso deixar o vício. Logo, precisam de apoio. É nessa hora que você, mais do que tudo, deve deixar claro que está aberto para conversar, dando amparo técnico e emocional ao paciente.

À medida que desenvolve o tratamento, o paciente verá a boca e dentes limpos, o que é um incentivo para ele. Consequentemente, também será para você. Afinal, verá o resultado efetivo de seu trabalho e razão social – contribuir com a saúde bucal da sociedade.

Dentistas podem evitar cânceres

Em suma, o cirurgião-dentista é um grande aliado no diagnóstico precoce do tumor, evitando que mais mortes ocorram. Normalmente, os tratamentos das lesões iniciais do câncer bucal têm resultados bons, com cura de 80% dos casos, de acordo com a OMS. Entretanto, em casos avançados, os melhores resultados podem não vir, especialmente se a cirurgia não é uma opção.

Sendo assim, reforçamos que estar próximo de seus pacientes, em especial os fumantes, é muito necessário para que não tenhamos números ainda mais alarmantes.

Com isso, para você se aprofundar ainda mais no assunto, separamos conteúdos exclusivos Codental que lhe indicam caminhos sobre como se aproximar ainda mais de seus pacientes. Confira:

You May Also Like

About the Author: Maria Carolina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *